Total de visualizações de página

Seguidores

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Tragedia familiar em SP: Tudo leva a crer que filho matou os pais e depois se suicidou, afirma polícia.



A Polícia Civil de São Paulo dá como "praticamente certa" a hipótese de que o casal de policiais militares Luis Marcelo Pesseghini, 40 anos, e Andreia Regina Bovo Pesseghini, 35 anos, foram mortos pelo filho, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13 anos, que teria cometido suicídio posteriormente. Segundo o delegado Itagiba Franco, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o adolescente vinha externando a um amigo um plano de fugir de casa e se tornar um "matador de aluguel"
Além dos três, também foram mortas Benedita Oliveira Bovo, 65 anos, e Bernardete Oliveira da Silva, 55 anos - respectivamente, avó e tia-avó do adolescente. "Pelo que apuramos, parece que está se comprovando e tudo leva a crer que o filho, Marcelo, foi o autor da morte dos pais e dos parentes próximos", disse Franco.
O delegado citou o depoimento de um dos colegas de Marcelo, que relatou à polícia os planos do adolescente. "O garoto afirmou: (Marcelo) sempre me chamou para fugir de casa, queria ser matador de aluguel. Tinha um plano: matar os pais de noite, quando ninguém soubesse, e fugir com o carro dos pais e morar em um lugar abandonado", afirmou o delegado.
Além dos três, também foram mortas Benedita Oliveira Bovo, 65 anos, e Bernardete Oliveira da Silva, 55 anos - respectivamente, avó e tia-avó do adolescente. "Pelo que apuramos, parece que está se comprovando e tudo leva a crer que o filho, Marcelo, foi o autor da morte dos pais e dos parentes próximos", disse Franco.
O delegado citou o depoimento de um dos colegas de Marcelo, que relatou à polícia os planos do adolescente. "O garoto afirmou: (Marcelo) sempre me chamou para fugir de casa, queria ser matador de aluguel. Tinha um plano: matar os pais de noite, quando ninguém soubesse, e fugir com o carro dos pais e morar em um lugar abandonado", afirmou o delegado.
 
Fonte: Terra