Total de visualizações de página

Seguidores

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Assalto, tentativa de latrocínio e arrastão: itapajeenses viram reféns da falta de segurança pública.

                                                    

A população de Itapajé padece com a falta  de Segurança Pública, fenômeno este antes restrito aos grandes centros urbanos, mais que atualmente se espalhou também nas cidades pequenas e de porte médio, do interior do estado.

O plantão de fim de semana da Terra do Frade de Pedra foi marcado pela violência praticada pelos assaltantes. Até arrastão ocorreu em frente ao colégio estadual Monsenhor José Catão Porfírio. Dois bandidos tomaram de assalto cerca de oito celulares e outros objetos dos alunos que saíam da aula, naquele estabelecimento de ensino.

No sábado foi aprendido um menor de 17 anos quando o mesmo tentava furtar um veículo. Populares que presenciaram o ato ilícito chamaram à polícia que o prendeu e levaram-no à delegacia de policia Civil. O menor foi ouvido e logo após liberado.

Comerciante é lesionado com três tiros, em assalto  praticado ao seu estabelecimento comercial na manhã de hoje.

O fato mais grave e lamentável ocorreu na manhã de hoje quando dois elementos chegaram ao estabelecimento comercial do Presidente do CDL de Itapajé. O sr. Francisco Robério  Araújo Teixeira. Segundo informações fornecidas no Blog do Clesio Marques. Os assaltantes chegaram ao comércio por volta das 6h30 da manhã.

Os meliantes anunciaram o assalto e no meio da confusão dispararam tiros contra o presidente do CDL. Cerca de três disparos atingiram-no, em seguida ao assalto os marginais fugiram levando uma quantia em dinheiro. O comerciante foi levado ao Hospital Municipal e depois de receber os primeiros socorros foi encaminhado a Fortaleza.

Urge providências  por parte das autoridades responsáveis pela segurança pública. A população não pode ficar refém de marginais. Os índices de assaltos, latrocínios, e assassinatos crescem exponencialmente no estado. E a reação do poder público é a mínima. Não podemos assistir a este  onda de violência, sem uma resposta adequada por parte dos responsáveis. É o mínimo que o povo exige dos governantes.


Com informações do Blog do Clesio Marques.