Total de visualizações de página

Seguidores

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Mais um ano de seca, sofrimento, descaso falta de planejamento é o Nordeste condenado eternamente a conviver com este problema.


Gonzagão ou Luís de Gonzaga, sanfoneiro e poeta nordestino cantou em versos a alma desta região. Na música A Triste Partida é relatada em detalhes as agruras do sertanejo antes e depois do período do inicio da temporada das chuvas e das consequências da seca: o êxodo para o Sudeste, a morte dos rebanhos dos pequenos pecuaristas. A fome do sertanejo.

Neste últimos anos pouca coisa mudou na região. A seca de tempos em tempos volta a nos afligir, e com ela o sofrimento da população. Entra governo e sai governo mas pouca coisa muda, a não ser a promessa de melhorias. A corrupção, a insensibilidade dos governantes, isso sim, aumenta cada vez mais.

Há quase dois anos não chove no Ceará, e pergunta-se qual o planejamento feito pelos gestores deste país para o combate a seca? A transposição do Rio São Francisco se arrasta a quase uma década e encontra-se travada na lama da corrupção dos empreiteiros que ganharam a obra e nos gabinetes de Brasília.

Leio nos jornais que no ano passado as secretarias cearenses que trabalham nesta área, conseguiram gastar pouco mais da metade dos recursos empenhados, Incompetência? Em outras áreas o governo estadual mostra agilidade, vide a obras da Copa do Mundo, Castelão já inaugurado, Centro de Feiras e Eventos e agora anuncia-se a celeridade para construção do Acquário do Ceará.

 Enquanto isto  nas pequenas cidades do interior falta carro-pipa para abastecer as comunidades. Os preços dos gêneros alimentícios sobem a cada dia. Nas feiras ninguém consegue mais comprar frutas e verduras pois o preços destes produtos encontra-se nas alturas. Os comerciantes reclamam que as vendas estão caindo. O poder aquisitivo da população é corroído pela alta dos preços. E agora com mais um agravante de ter que comprar água de particulares para abastecer as residências.

Os pequenos agricultores e pecuaristas  vêem seu rebanho morrer a míngua de fome e de sede. Muitos já venderam o pouco que lhe restou e migraram para onde tem água. Quem percorre as comunidades rurais presencia casas fechadas que foram abandonadas pelos seus proprietários.

Fala-se  que o sertanejo tem que aprender a conviver com a seca. Conviver com este fenômeno é possível sim. A população Israelense mora numa região desértica e com criatividade conseguiu transformár o deserto num óasis. Aqui no Brasil a primeira coisa que os gestores tem que fazer é criar vergonha na cara!!!!!!