Total de visualizações de página

Seguidores

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Guard rail Polêmico: mureta construida está fechando as ruas que cruzam a BR - 222 em Irauçuba.


                                    
Uma ação que será bastante questionada na reforma da BR - 222 está sendo construída: uma empresa esta montando uma mureta de aço ao longo do percurso da rodovia na sede. A BR cruza a cidade no sentido Leste - Oeste. Do lado norte localiza-se os bairros do Centro, Barragem etc, do lado Sul,  localizam -se os Bairros do Cruzeiro, Gil Bastos e Mocó de Cima, nestes últimos moram  quase metade da população da sede que é de aproximadamente 14 mil habitantes.

Os moradores destas áreas, todos os dias são obrigados por algum motivo cruzar a BR-222 fazer compras no centro, levar os filhos à escola, Hospital, deslocar-se para alguma localidade. com a separação da cidade pela mureta como ficarão o trânsito de veículos pelas ruas que cruzam a rodovia? Os  PROJETISTAS que  elaboraram o projeto da reforma não pensaram neste detalhe? Recebi informações da Chefe de Gabinete da PMI que o Superintendente do DNIT em reunião com o Prefeito de Irauçuba que a mureta será colocada em toda a extensão da BR na sede.

Pergunto a essas cabeças " pensantes" o porque da não construção de dois tuneis e a construção de uma passarela para os pedestres, pelas ruas que cortam a BR. Quem já trafegou pela BR -101 observa que ao longo das cidades, seja de pequeno ou grande portes são construídos tuneis ou viadutos nos cruzamentos.  Por que então aqui na BR -222 não se planejou e construiu como lá. Descaso?

Recebi informações que a razão da construção da cerca seria os sucessivos acidentes que estão a ocorrer na ao longo da via. Já que não tem no projeto tuneis que se coloquem lombadas eletrônicas, sonorizadores, assim como se colocou em diversas cidades que cortam a rodovia.
 
A população da Terra da Amizade não pode, nem deve ser separada, por muros, cercas e se transformar num gueto.O direito de ir vir deve ser respeitado.Com a palavra as    autoridades responsáveis.