Total de visualizações de página

Seguidores

domingo, 26 de setembro de 2010

IRAUÇUBA MELHORA 90 POSIÇÕES NO RANKING DE DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL.



    O Índice  de Desenvolvimento Municipal divulgado pela FIRJAN (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) hoje, mostra que o Município de Irauçuba, saltou 90 posições de 2005( último ano divulgado), para 2010.  O  índice analisa a Educação, Saúde e Emprego de todos os municípios brasileiros.

   O destaque de Irauçuba foi a saúde que recebeu nota 0,6899,  como pode se verificar a saúde deu um salto de qualidade excepcional. A geração de emprego e renda a nota atribuída foi de  0,3607,  e a Educação ficou com nota 0,5458, a Educação teve uma  nota inferior aos dados de 2005. Ao compararmos os dados de 2005, com  o de 2010, veremos que a cidade saltou da 3941ª, para 3851ª. isto,  representa um avanço de quase 100, posições no ranking brasileiro.

   De parabéns está a atual administração que em cinco anos fez o município figurar na relação dos 108º, do Ceará. Em anos anteriores  figurava sempre na lista  dos 10 menos desenvolvidos. Isto é uma prova  cabal, de que quando se quer fazer alguma coisa em prol dos cidadãos, basta ter  força de vontade e determinação, que se faz.

A partir da eleição do presidente Lula, o nordestino deixou de votar nos coronéis e derrotou oligarquias que se instalava por décadas e décadas, nos estados e municípios locais. Estas famílias geralmente se locupletavam com os poucos recursos que eram enviados. A farra com o dinheiro público era feita descaradamente. Agora se vê o surgimento de novas lideranças do meio do povo. O resultado é a melhora da qualidade de vida. A política agora é a do compromisso, da seriedade, do bem estar social. e com isso se vê a diferença.
 Veja abaixo o link para acessar o índice.

.www.firjan.org.br/

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Por que Dilma tem mais de 50 % dos votos dos brasileiros.

Reportagem publicada hoje pelo Jornal Folha de São Paulo, mostra que pelo segundo ano consecutivo num ranking de 28 países emergentes. O Brasil foi campeão no combate a fome. Superando até mesmo a China, com seus índices de crescimento astronómicos.
Só se faz uma nação justa onde a miséria não seja maioria, onde o fruto do trabalho de todos seja compartilhado por todos. Neste quesito o governo do Presidente Lula tem se destacado. Leia a reportagem na íntegra abaixo:

Pelo segundo ano, Brasil lidera ranking de combate à fome

O Brasil lidera, pelo segundo ano consecutivo, um ranking da ONG ActionAid que mede o progresso de países em desenvolvimento na luta contra a pobreza.

O novo ranking foi divulgado nesta terça-feira (14) no relatório "Who's Really Fighting Hunger?" (Quem realmente está combatendo a pobreza?), em que a ONG analisa os esforços em 28 países para combater o problema.

A ONG considerou o desempenho dos países em categorias como presença de fome, apoio à agricultura em pequenas propriedades e proteção social.

O Brasil é seguido por China e Vietnã. Em último na lista está a República Democrática do Congo.

PEQUENAS PROPRIEDADES

Como em 2009, a ActionAid elogia as políticas sociais adotadas pelo governo federal para reduzir a fome no país, destacando os efeitos benéficos de programas como o Bolsa Família e o Fome Zero.

Entretanto, o relatório destaca o pequeno avanço do Brasil, em relação aos demais países emergentes estudados, na adoção de políticas de incentivo à agricultura em pequenas propriedades.

Nesse quesito, o documento coloca o Brasil na 26ª posição entre os 28 analisados, à frente apenas da República Democrática do Congo (27º colocado) e de Guatemala (28º).

"O governo (brasileiro) começou a investir muito mais na agricultura em pequenas propriedades. Entretanto, ainda há um longo caminho para acabar com a fome e reagir às imensas desigualdades históricas que existem entre os pequenos e grandes produtores", diz o relatório.

"O Brasil tem tido a tendência de concentrar seu investimento em agrobusiness, o que contribuiu para a concentração de terras nas mãos de um pequeno número de pessoas."

"O governo brasileiro (...) precisa evitar a promoção de biocombustíveis às custas da segurança alimentar, pois a expansão dos biocombustíveis está elevando o preço da terra e transformando plantações em combustível", diz o texto.

PREJUÍZO

O relatório da ActionAid também destaca que a fome causa um prejuízo anual de US$ 450 bilhões para os países mais pobres.

Segundo a ONG, dos 28 países emergentes analisados no relatório, apenas oito estão a caminho de conseguir cumprir, no prazo previsto, as metas de desenvolvimento do Milênio da ONU para a redução da fome. As metas preveem que, em relação aos níveis de 1990, os países diminuam pela metade o número de pessoas subnutridas e de crianças que estão abaixo do peso ideal até 2015.

"Lutar contra a fome agora vai custar dez vezes menos do que ignorar o problema. (Por causa da forme), todos os anos, a redução da produtividade dos trabalhadores, os problemas de saúde e a oportunidade perdida de buscar educação resultam num custo de bilhões para os países pobres", disse a presidente da ActionAid, Joanna Kerr.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Folha de São Paulo : QUASE 30 ENTRARAM NA CLASSE MÉDIA DURANTE GOVERNO LULA.

Noticías alvissareiras como a divulgada hoje, me faz acreditar no Brasil ainda mais. E ver como o governo do presidente Lula, tão bem fez ao povo brasileiro. Não é a toa que ele está sendo hoje o Presidente mais popular da História recente, segundo as pesquisas de opinião.





10/09/2010 - 15h03
Quase 30 milhões entraram na classe média durante governo Lula. Folha de São Paulo
DE SÃO PAULO
DA AGÊNCIA BRASIL

Quase 30 milhões de pessoas ingressaram na nova classe média entre 2003 e 2009. O dado foi divulgado hoje (10) pelo coordenador do Centro de Políticas Sociais da FGV (Fundação Getulio Vargas), Marcelo Néri. De acordo com a pesquisa, na época da crise a classe C cresceu mais do que as demais, chegando no ano passado a abranger 94,9 milhões de brasileiros, ou seja, mais da metade da população.

Ainda de acordo com o levantamento "A Nova Classe Média: o Lado Brilhante dos Pobres", a soma da população das classes A, B e C passa de 61%. Em 1992, as classes D e E é somavam 61% da população.

"Em seis anos, 35,6 milhões de pessoas foram incorporadas às classes A, B e C, o que equivale a mais da metade de um país como a França. Desse total, 10% foram registrados no ano passado, que foi o ano da crise", explicou Néri. Ele definiu o período 2008/2009 como um ano de crise para as elites, mas não para as estatísticas sociais.

RENDA

Em artigo publicado na Folha na quinta-feira, Neri revelou que a renda dos brasileiros mais pobres avançou mais que a dos mais ricos no ano passado. Os 40% mais pobres tiveram ganho de 3,15% e os 10% mais ricos, de 1,09%.

Os cálculos foram feitos com base na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), e integram o estudo divulgado hoje.

Na média, a renda per capita dos brasileiros cresceu 2,04% entre 2008 e 2009.

De 2003 a 2008, a renda per capita dos brasileiros cresceu mais que o do PIB (Produto Interno Bruto). Enquanto o PIB avançou 3,78% ao ano e a renda se ampliou em 5,23% ao ano, em termos per capita (descontado o crescimento populacional).

Ano passado, o PIB per capita caiu 1,5% (por conta da crise, mas a renda medida pela Pnad subiu 2,04%.

Neri diz que o Brasil vive um crescimento comparável ao da China, mas diz que o avanço econômico no Brasil tem qualidade superior ao do país asiático.

"O boom brasileiro recente seria de melhor qualidade que o chinês pois vem acompanhado de maior equidade, enquanto a China vive uma crescente desigualdade similar a que vivemos durante o milagre econômico brasileiro dos anos 60, bem detalhado no livro seminal de Carlos Langoni."

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

PATRONATO: A IMAGEM DA DECADÊNCIA




Quem vê a imagem do patronato de Irauçuba hoje, não imagina o quanto ele foi importante há 30 anos atrás. Ali era o lugar onde a maioria da geração irauçubense fez o primário e estudava catecismo nos finais de semana.
Moradia de freiras, onde o ensino religioso era praticado com bastante rigor, com respeito. No parquinho que existia no local era o ponto preferido das crianças logo após o catecismo, na hora do recreio.
Hoje, destruído pelo tempo, pela falta de cuidado dos párocos que ficaram à frente da paróquia local. A imagem que nos passa a mente, e da decadência da Igreja Católica que deixa um local, tão valioso para a memória do nosso município, para a História, assim abandonado.
A Sociedade de Irauçuba precisa se mobilizar, e cobrar da diocese que este local seja reformado e que o local volte a servir de espaço religioso e educacional neste Município.